“Nas asas dos livros” é um espaço de divulgação das Bibliotecas com entrada livre para todos os que querem voar…


27/11/2017

Entrevista a José Pacheco


José Pacheco, professor, pedagogo, defende uma escola sem turmas, sem ciclos, sem testes, sem chumbos, sem campainhas. Aos críticos, pede alternativas e conta histórias de sucesso. Fundou um projeto inovador na Escola da Ponte, em Santo Tirso, em 1976, quando percebeu que não podia continuar a dar aulas. Derrubou paredes, juntou alunos, ergueu um método em que quem aprende define o seu ritmo de aprendizagem. Foi ameaçado, ouviu coisas feias, disseram-lhe que quando fosse mais velho iria ganhar juízo. Tem agora 65 anos e não mudou de ideias. Continua a acreditar que a escola são pessoas e não um edifício de betão. Não percebe a insistência nos exames, diz que se confunde avaliação com classificação, refere que os chumbos comprovam que o sistema não funciona.
José Pacheco
Há 12 anos, partiu para o Brasil com o seu projeto na mala. Partiu por duas razões. «Permitir que uma nova equipa da Escola da Ponte continuasse o projeto sem a intromissão de um velho professor e encontrar no Sul a obra de Agostinho da Silva e educadores disponíveis para se melhorar, melhorando a educação das crianças e jovens», explica. Neste momento, do outro lado do Atlântico, acompanha mais de 100 projetos educativos. O Projeto Âncora é o mais conhecido e já ganhou fama internacional, após visitas de investigadores estrangeiros. Há uma semana, José Pacheco esteve em Portugal, em várias cidades – Almada, Loulé, Fundão, Viseu, Gouveia – a partilhar ideias, a falar do que sabe, a ouvir alunos, professores, educadores, responsáveis políticos. Partiu depois para o Chile, para fazer formação a convite de universidades e do governo chileno. Em meados de abril, regressa ao Brasil para retomar a orientação de projetos educativos.

Em 1976, no rescaldo da liberdade, criou com duas colegas o projeto pioneiro «Fazer a Ponte na Escola da Ponte». Sem turmas, sem testes, sem ciclos, sem campainhas. Chamaram-lhe louco quando dizia que era possível derrubar paredes e juntar alunos?
Confesso que, nos idos de 1976, estava quase a desistir de ser professor. Sentia que «dando aula» estava a excluir gente. Percebi que não devia continuar, mas não sabia fazer mais nada. A Ponte surgiu, talvez não por acaso, para me dar uma última oportunidade. Era uma escola como qualquer outra, escola pública degradada, que albergava as chamadas «turmas do lixo», maioritariamente constituídas por jovens de 14, 15 anos, que não sabiam ler nem escrever, e que batiam nos professores. Ali, encontrei duas pessoas, que faziam as mesmas perguntas: «porque é que dou as aulas tão bem dadas e há alunos que não aprendem?»


https://www.noticiasmagazine.pt/2017/jose-pacheco/

14/11/2017

Semana da Ciência e da Tecnologia

Semana da Ciência e da Tecnologia

No âmbito da Semana da Ciência e Tecnologia irão decorrer várias atividades na Biblioteca Escolar (BE) e no Polivalente da escola.

Dinamizado pela equipa da BE, esta atividade conta com a colaboração do Clube de Robótica e dos professores de Português e Fisico-Química.


10/10/2017

Mês Internacional da Bibliotecas Escolares

MIBE 2017 | Ligando comunidades e culturas

Para 2017, o Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares estabelece 23 de outubro como Dia da Biblioteca Escolar em Portugal.


Este é o tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para o Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE).

O concurso de ideias “Ligando comunidades e culturas” é a iniciativa que a RBE lança este ano para assinalar o MIBE. O seu objetivo principal é fomentar um debate em torno do tema. Desse debate surgirão as ideias-chave e as estratégias para que a biblioteca se apresente como o lugar onde se ligam comunidades e culturas.

Até 3 de novembro, os alunos são desafiados a refletir, a pôr a sua criatividade em ação e a apresentar uma ideia. O desafio consiste na criação de um jogo original que permita aos utilizadores da biblioteca abordar a temática proposta para o MIBE, de uma forma aliciante e lúdica. Os participantes deverão seguir com rigor o estipulado no regulamento.

À ideia vencedora será atribuído o prémio Teresa Calçada.

03/10/2017

Exposição - Dia Mundial do Animal

Exposição das primeiras frases